Serra Talhada: sustentabilidade ambiental como política pública.

O empenho de governos locais pela sustentabilidade ambiental é um movimento recente e que a cada ano envolve um número maior de municípios brasileiros. A situação é acompanhada pela ABM que desenvolve uma agenda na área da sustentabilidade ambiental com a divulgação e implantação dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), da Agenda 2030, iniciativa da Organização das Nações Unidas.

Articular ações integradas em uma política pública de enfrentando às mudanças climáticas foi a desafio assumido pela Prefeitura Municipal de Serra Talhada, encravada no sertão do Estado de Pernambuco, distante 415 quilômetros da capital Recife. Desde 2018, o prefeito, Luciano Duque, diretor da ABM, aderiu ao Pacto Global de Prefeitos pelo Clima e a Energia, aliança de cidades e governos locais voluntariamente comprometidos com a luta contra as mudanças climáticas.

A ABM como membro da coordenação nacional do Pacto, incentivou capacitações para gestores e gestoras de 20 municípios brasileiros em parceria com o ICLEI (Governos Locais pela Sustentabilidade) América do Sul, propiciando ferramentas para que Serra Talhada e mais 19 cidades pudessem atingir as metas e compromisso assumidos ao aderirem ao Pacto.

Já perto do encerramento de seu segundo mandato, Serra Talhada é um exemplo de que a articulação de ações visando o enfrentamento das questões climáticas exige, muitas vezes, “a vontade política e discernimento da importância do tema para a qualidade de vida de sua população”, diz a presidente da ABM, Monica Gomes Aguiar, prefeita de Camocim (CE).

Desde a adesão ao Pacto Global de Prefeitos, Serra Talhada, com população de quase 87 mil habitantes, segundo o IBGE, e Orçamento previsto de R$ 250 milhões para 2020, conforme o Portal da Transparência, desenvolveu e implementou um conjunto de ações voltada ao combate às mudanças climáticas que incluem alternativas para melhorar a eficiência energética da Prefeitura, educação ambiental e melhoria da infraestrutura urbana.

Em 2018, a Prefeitura promoveu a substituição das lâmpadas de mercúrio incandescente ou fluorescente por lâmpadas de LED, melhorando a iluminação pública, propiciando mais segurança para os seus moradores e ganho ambiental pela utilização de tecnologia limpa.

Também promoveram a mudança das instalações dos diversos setores da Prefeitura para um Centro Administrativo mais arejado e iluminado, que impactou pelo lado ambiental (melhor ventilação e luminosidade, melhorando a qualidade do ambiente de trabalho para os servidores públicos) como econômica para o orçamento público reduzindo o consumo de energia pela diminuição do consumo de energia elétrica pela redução da utilização dos aparelhos de ar-condicionado e luzes acessas.

Em 2019, ocorreu o lançamento do Plano Municipal de Arborização urbana, desenvolvido em parceria com a Universidade Rural de Pernambuco, que utiliza espécies nativas do bioma da Caatinga.

Agora em 2020, a Prefeitura Municipal de Serra Talhada elaborou o inventário de emissão de Gases Estufa (GEE), iniciativa importante para estruturar os próximos passos da política municipal de enfrentando de mudanças climáticas.

“Podemos observar, com o exemplo de Serra Talhada, que a política de enfrentamento das questões ambientais pode ser realizada com ações que demandam pouco sacrifício financeiro das Prefeituras. E o resultado é muito significativo para a população”, avalia Eduardo Tadeu Pereira, diretor Executivo da ABM.

Saiba mais sobre o Pacto aqui: (http://pactodealcaldes-la.eu/pt-br/).

Leave a Reply