Seminário Regional Sul reuniu mais de duzentas pessoas em São Leopoldo/RS

Seminário Regional Sul reuniu mais de duzentas pessoas em São Leopoldo/RS

O papel dos municípios na implementação da Agenda 2030 foi o foco do primeiro dia do Seminário Regional Sul do projeto Parceria pelo Desenvolvimento Sustentável, abordando os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) e a Nova Agenda Urbana (NAU). O evento foi realizado pela ABM e União Europeia, com apoio da Prefeitura de São Leopoldo, da AGM (Associação Gaúcha de Municípios) e da Famurs (Federação das Associações dos Municípios do Rio Grande do Sul), e acontece na cidade de São Leopoldo (RS).

Presidente da ABM e prefeito de São Leopoldo, Ary Vanazzi falou da importância de se trabalharem os ODS transversalmente às políticas públicas. Os representantes da Associação Gaúcha Municipalista (AGM), diretor Carlos Cardinal Oliveira, da Federação das Associações dos Municípios do Rio Grande do Sul (Famurs), coordenador-geral, José Scorsatto, entidades apoiadoras do evento, fizeram suas falas iniciais destacando a importância dos municípios para garantia de direitos da população, assim como fez o secretário-executivo da rede Mercocidades, diretor de Gabinete do município de Assunção (Paraguai), Gustavo Candia e o vice-presidente da seccional Sul da Anamma, secretário de Meio Ambiente de Novo Hamburgo, Udo Sarlet. A gerente da unidade do Sesc em São Leopoldo, Andrea Guedes, também fez sua saudação aos participantes.

Quase duzentas pessoas participaram da abertura do seminário, incluindo gestores municipais, educadores ambientais, integrantes de organizações não-governamentais, conselhos municipais, instituições de ensino, entre outras.

O evento seguiu com painel sobre a implementação dos ODS e da NAU nos municípios, no qual o secretário-executivo da ABM, Gilmar Dominici apresentou o projeto Parceria pelo Desenvolvimento Sustentável, destacando a capacitação de gestores.

Boas práticas

Na parte da tarde, a programação seguiu com “Apresentação de boas práticas municipais da região Sul”, que contou com as palestras do coordenador da Virada Sustentável de Porto Alegre, Vitor Ortiz; da assessora de Planejamento e Qualidade e gerente de Tecnologia da Informação do Sesc/RS e representante do Comitê de Sustentabilidade do Sistema Fecomércio-RS/Sesc/Senac, Adriane Moraes; e do secretário municipal de Habitação de São Leopoldo, Nelson Spolaor. Todas as apresentações podem ser acessadas na aba SEMINÁRIOS deste hot-site.

Os palestrantes apresentaram experiências como eventos, modos de trabalho e programas. Ortiz trouxe dados das quatro edições do Virada Sustentável de Porto Alegre, que ocorre em mais seis cidades do país e promove de forma decentralizada diversas ações gratuitas.

A assessora do Sesc/RS, Adriane, falou da importância de socializar os 17 objetivos. “Nós construímos uma plataforma à distância que tem como objetivo ensinar para as pessoas os 17 ODS na prática. A pessoa terá a oportunidade de conhecer cada objetivo de forma direta”, explicou.

O secretário Spolaor apresentou os programas Regulariza São Leo e Inclusão Urbana da Secretaria Municipal de Habitação de São Leopoldo (Semhab) que têm como princípios alguns dos ODS. “Até o momento, já regularizamos 19 loteamentos e entregamos mais de 4,5 mil escrituras”, falou Spolaor.

Segundo dia

O financiamento para implementação da Agenda 2030 e exemplos de iniciativas internacionais para implementação dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) e da Nova Agenda Urbana (NAU) foram a pauta do segundo e último dia do Seminário.

A prefeita de Nova Santa Rita, Margarete Ferretti, que compõe a diretoria da ABM, foi a mediadora da mesa sobre mecanismos de financiamento para a Agenda 2030, que também contou com o gerente regional da Caixa Econômica Federal, Cristiano Schumacher, e o gerente de planejamento do BRDE, Alexsander Nunes Leitzke. Ambos apresentaram ações e programas dos respectivos bancos voltados para os municípios e projetos de sustentabilidade.

Como as cidades estão implementando os ODS

A segunda mesa foi voltada para a apresentação das experiências internacionais na implementação dos ODS e da NAU. O secretário de Cultura e Relações Internacionais de São Leopoldo, Pedro Vasconcellos, foi o mediador.

O assessor internacional da Associação Brasileira de ONGs (Abong), Pedro Bocca, falou sobre a importância do envolvimento da sociedade civil para a implementação dos ODS. “Depende da situação de cada país, como estão, como desenvolvem o trabalho, quanto recurso tem disponível e como é a participação da sociedade”, destacou. Para Bocca, a democracia plena é um fator essencial para o processo. Ele comentou, ainda, a situação brasileira, em que o Governo Federal extinguiu conselhos de participação social, bem como desativou o Grupo de Trabalho 2030, em um movimento de encolhimento dos espaços cívicos democráticos.

O segundo relato foi do secretário-executivo da Rede Mercocidades e diretor de Gabinete do Município de Assunção (Paraguai), Gustavo Candia. Ele apresentou uma experiência da cidade de Assunção, o projeto ASU VIVA – Programa Franja Costera Inclusiva, “De la crisis, a la oportunidad”. O projeto procura garantir o direito à cidade aos cidadãos que vivem em área atingida por transbordamento de rio, preocupando-se com as mudanças climáticas e a participação popular. Candia também destacou a importância do seminário para a rede Mercodidades. “Os governos locais e a sociedade civil colocam-se firmes para avançar em direção aos objetivos”, afirmou.